O que se sabe entre a troca de tiros entre policiais após discussão sobre Lula x Bolsonaro

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

A briga (e posterior troca de tiros) entre dois policiais, um militar e um civil, no bairro de Valentina Figueiredo, João Pessoa, continua repercutindo bastante. De acordo com relatos de testemunhas, o policial militar bebia em um bar, nas proximidades de uma feira, quando o agente da polícia civil chegou e foi iniciada uma discussão sobre os candidatos à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Messias Bolsonaro (PL).

O policial civil então foi ao carro, pegou um revólver e atirou, iniciando uma troca de tiros com o policial militar. O PM foi atingido e socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, e posteriormente encaminhado ao Trauminha de Mangabeira. Até o momento, a informação é de que o policial civil deixou o local e não foi localizado nem se apresentou na Central de Polícia.

JUSTIÇA ELEITORAL

Anúncios

O caso teve tanta repercussão que obrigou uma manifestação da Justiça Eleitoral. O site Click PB buscou o desembargador Leandro dos Santos, presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), para que ele garantisse que até o momento a Paraíba não necessita de forças federais atuando nas eleições gerais. 

Segundo o desembargador, até agora não há “nenhum motivo relevante e que preencha os requisitos legais” para a solicitação de forças federais. Sobre o caso ocorrido ontem (25), em que dois policiais se envolveram em uma discussão política com troca de tiros, o magistrado tratou como um fato isolado. “Um fato isolado de violência não é motivo para que a gente possa então mudar esse cenário”, declarou à Arapuan FM.

Anúncios

Acompanhe Nossa Pagina no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*