PF apreende 1,2 tonelada de cocaína escondida debaixo de gelo em barco que iria para Europa

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

A Polícia Federal (PF) apreendeu, na manhã deste sábado (20), uma carga de 1,2 tonelada de cocaína em uma embarcação pesqueira que trafegava em águas internacionais. Seis pessoas foram presas. 

A ação investigativa se desenvolveu em atuação conjunta com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS/CE), por meio da Coordenadoria de Inteligência (Coin). Utilizando o apoio solicitado ao Navio Patrulha Oceânico Araguari, da Marinha do Brasil, policiais federais prenderam em flagrante o comandante do pesqueiro e cinco tripulantes, que foram conduzidos à PF.

A apreensão decorre de cooperação internacional com a Drug Enforcement Agency (DEA) e com a National Crime Agency (NCA), órgãos policiais dos Estados Unidos e Reino Unido, respectivamente. A embarcação permaneceu atracada no Cais Pesqueiro do Mucuripe, em Fortaleza, por alguns dias, e zarpou na última semana com documentação incompleta e com mecanismo de rastreamento obrigatório (PREPS) desativado, reforçando as suspeitas para abordagem. Trata-se de apreensão recorde de cocaína no Estado do Ceará em 2022.

Anúncios

A droga estava acondicionada sob toneladas de gelo no porão da embarcação e teria como destino a Europa. Foram apreendidos, além da droga e da própria embarcação, celulares, equipamentos e documentos. As investigações continuam com a análise desse material. Além dos policiais federais do Ceará, a ação contou com a participação de policiais das unidades da PF no Rio Grande do Norte e Paraíba.

Os presos foram interrogados e indiciados pela PF e poderão responder pelos crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e por integrarem organização criminosa, com penas de até 34 anos de reclusão.

Anúncios

Acompanhe Nossa Pagina no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*