Transporte perdeu 10,8 milhões de passageiros em 2021 e crise se intensificou, diz pesquisa

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Os dados do Anuário da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) 2021-2022, divulgado nesta quinta-feira 11, em um seminário do setor em São Paulo, revelam que o Setor de Transportes teve uma redução de 10,8 milhões de viagens realizadas por passageiros pagantes por dia, em todo o país. Os números são referentes ao ano de 2021, e fazem comparação com o cenário de 2019, anterior à pandemia.

O monitoramento da associação também mostra que a demanda atual de passageiros está oscilando entre 66,8% e 71,3% em relação à situação do período da pré-pandemia. A NTU alerta que não há indicação, até o momento, de que essa perda de passageiros será totalmente revertida, indicando a possibilidade de encolhimento estrutural do setor.

Na avaliação do Presidente da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (FETRONOR) Eudo Laranjeiras, a pandemia fez com a crise do Setor de Transportes tenha se intensificado. “A pandemia foi um divisor de águas muito forte, em vários aspectos. E com o transporte não poderia ser diferente. Mas ela atingiu o Setor de tal modo que afetou fortemente, a partir da suspensão das atividades comerciais, do funcionamento das escolas, enfim, da necessidade do distanciamento social”, relata.

Anúncios

“A realidade é que o Setor também está buscando se recuperar, tentando sair da UTI, e precisa de políticas públicas, precisa de ações do Poder Público para isso, pois o transporte é público, ainda que operado por empresas privadas. Quando não temos essas ações, as consequências permanecem sendo uma frota mais velha, ônibus que demoram mais, até mesmo a retirada de linhas, como tem ocorrido, infelizmente”, comenta o presidente.

O presidente da FETRONOR lembra ainda que algumas empresas não conseguiram se manter e fecharam as portas. “Na região nordeste, tivemos diversos casos, o mais recente, agora em Fortaleza, que tem um sistema licitado. Na Grande Natal, só este ano, duas empresas fecharam”, alerta Eudo.

Anúncios

Números

Em números absolutos, em 2019, antes da pandemia, eram realizadas 33,2 milhões de viagens por passageiros pagantes por dia no país, número que caiu para 22,4 milhões em 2021 (-32,6%). De 2020 para 2021, houve um acréscimo de 50,5%, embora em relação a 2019 a redução seja ainda alta, de 25,1%.

O documento também mostra que a oferta de transporte público por ônibus aumentou 8,5%, em 2021, na comparação com o ano anterior. Já em julho de 2020, pouco mais de quatro meses após o início da pandemia, a oferta do serviço atingiu mais de 70%, da situação observada anteriormente. Em abril de 2022, o nível da oferta subiu para 82,3% do verificado em 2019.

Valores

Os sistemas organizados de transporte público por ônibus urbano, presentes em 2.703 municípios brasileiros, tiveram uma perda acumulada de R$ 27,8 bilhões, do início da pandemia a abril deste ano, segundo revela o levantamento mais recente feito pela associação, que serviu de base para o anuário.

Acompanhe Nossa Pagina no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*