Governadora de Nova York declara estado de emergência por varíola do macaco

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

governadora do estado de Nova York, Kathy Hochul, declarou na sexta-feira (29) estado de emergência por causa da propagação contínua da varíola do macaco.

“Estou declarando uma emergência estadual de desastre para fortalecer nossos esforços contínuos para enfrentar o surto de varíola do macaco”, escreveu Hochul no Twitter.

A autoridade acrescentou que mais de um em cada quatro casos da doença nos EUA está em Nova York. O estado também registra impacto desproporcional nos grupos de risco.

Em 29 de julho, o estado de Nova York tinha um total de 1.383 casos confirmados, de acordo com o departamento estadual de saúde. O Brasil e a Espanha já relataram as primeiras mortes relacionadas à doença fora da África nesta semana.

“Esta ordem executiva nos permite responder mais rapidamente, e permite que os profissionais de saúde tomem medidas adicionais que ajudarão a vacinar mais nova-iorquinos”, diz a governadora. 

A OMS (Organização Mundial da Saúde) também declarou a varíola do macaco uma emergência global de saúde, seu nível mais alto de alerta.

Situação no Brasil

Segundo o Ministério da Saúde do Brasil, a primeira morte por varíola do macaco (monkeypox) no país foi a de um homem imunossuprimido que estava internado em um hospital de Belo Horizonte (MG).

“Trata-se de um paciente do sexo masculino, de 41 anos, com imunidade baixa e comorbidades, incluindo câncer (linfoma), que o levaram ao agravamento do quadro. Ficou hospitalizado em uma unidade pública de Belo Horizonte, sendo depois direcionado ao CTI [terapia intensiva]. A causa do óbito foi choque séptico, agravado pelo monkeypox”, diz a pasta em nota.

Entre os grupos de risco da doença, estão pessoas que têm o sistema imunológico mais fraco, como pacientes com HIV, doenças autoimunes, transplantados e indivíduos em tratamento de câncer. Além do mais, crianças e gestantes também estão incluídas nas comunidades mais fragéis. 

Na atualização da última sexta-feira (29), o país já totaliza 1.259 casos confirmados de varíola do macaco. 

A varíola do macaco é transmitida por relação sexual?

Segundo as agências de saúde dos países que têm casos registrados, a maioria dos infectados são homens que fazem sexo com homens. Por isso, pesquisadores investigam se algo mudou na transmissão do vírus, que sempre foi por contato próximo, principalmente com a pele, ou com secreções, como saliva.

‘Não é possível saber se é uma doença transmitida por meio do sêmen, não há comprovação. O que aconteceu é que os primeiros casos na Europa foram registrados em homens que tinham como link epidemiológico o fato de serem homens que fazem sexo com homens. Mas isso não se deve ao fato de que o vírus está sendo transmitido sexualmente, igual ao HIV.

Provavelmente, eles tiveram pontos convergentes de exposição, por exemplo, um aplicativo de encontro. O vírus vai passando por meio dessas redes, ou festas, encontros em massa. O vírus conseguiu pegar uma cadeia de muita sorte e foi por essa rota de homens que fazem sexo com homens’, explicou Giliane Trindade, virologista da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais)

Acompanhe no Facebook: Click na IMAGEM

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*