Fundo para indenizar famílias de vítimas da Chapecoense terá mais R$ 54,3 milhões

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem
fundo-para-indenizar-familias-de-vitimas-da-chapecoense-tera-mais r$-54,3-milhoes
Avião que transportava a delegação da Chapecoense e caiu próximo à cidade de Medellín, na Colômbia

Avião que transportava a delegação da Chapecoense e caiu próximo à cidade de Medellín, na Colômbia

Lance! Galerias – 29.11.2016

O fundo criado para indenizar as 71 famílias das vítimas do acidente aéreo da Chapecoense, ocorrido em 2016, vai receber um aporte de R$ 54,3 milhões — subirá de R$ 81,45 milhões para R$ 135,75 milhões. Os valores são negociados em dólar, cotado a R$ 5,43 nesta quarta-feira (6). A informação foi divulgada pelo senador Jorginho Mello (PL-SC), presidente da comissão parlamentar de inquérito que investiga o caso. 

De acordo com o parlamentar, ele negociou o aumento com a seguradora Tokio Marine, em Londres, na terça-feira (5). A Embaixada do Brasil no Reino Unido também participou das tratativas.

Segundo Mello, em 2017, a seguradora criou o fundo com objetivo de fazer acordo com os familiares das vítimas do acidente. Na primeira negociação, foi oferecido R$ 1.086.000, e nenhuma família aceitou. Meses depois, o valor subiu para R$ 1.221.750, e cerca de 24 famílias decidiram aderir.

Em contrapartida, quem acatou o acordo assinou um termo de quitação que impede qualquer ação judicial contra a companhia aérea LaMia e a seguradora Bisa. 

Senador Jorginho Mello e representante da seguradora, em Londres

Senador Jorginho Mello e representante da seguradora, em Londres

Senador Jorginho Mello/Divulgação – 5.7.2022

Com o aporte de R$ 54 milhões ao fundo, as 24 famílias que já receberam o valor acordado poderão sacar mais R$ 749.340. As outras 47 famílias que ainda não receberam nada do fundo e que queiram aderir receberão agora o total de R$ 1.971.090 cada uma.

“Nada vai trazer esses guerreiros de volta. Mas é uma notícia que acalenta um pouco o coração das famílias. É inadmissível que essa indenização tenha demorado tanto para ocorrer. Por isso, fiz questão de vir a Londres e buscar este acordo. Considero uma missão exitosa e volto para o Brasil realizado”, destacou o senador.

CPI suspensa

Criada em 2019 para apurar o atraso no pagamento das indenizações às famílias das vítimas, a CPI da Chapecoense deveria entregar, a princípio, o relatório em agosto de 2020. Contudo, os trabalhos foram suspensos por dois anos por causa da pandemia de Covid-19 e só foram retomados neste ano.

Acidente aéreo

O acidente ocorreu na Colômbia, entre 28 e 29 de novembro de 2016. A Chapecoense iria disputar a final da Copa Sulamericana, em Medellín.

O avião decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e caiu após sofrer uma pane por falta de combustível, matando 71 pessoas.

Acompanhe no Facebook: Click na IMAGEM

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*