Brasil critica Venezuela por impedir inscrição de opositora em eleição

EU TO GANHANDO COM O KWAY VEM VOCÊ TAMBÉM, VEJA COMO GANHAR DINHEIRO, COM MINHAS DICAS

O Ministério de Relações Exteriores, o Itamaraty, criticou, nesta terça-feira (26), o governo da Venezuela por impedir a inscrição de Corina Yoris.

Candidata da oposição do governo de Nicolás Maduro, nas eleições presidenciais venezuelanas. O Brasil diz acompanhar o processo eleitoral “com expectativa e preocupação”.

Anúncios

Em nota, o Itamaraty informou que a decisão de barrar a candidatura da indicado pela Plataforma Unitaria, força política de oposição, “não é compatível com os acordos de Barbados”.

“O impedimento não foi, até o momento, objeto de qualquer explicação oficial”, acrescentou.

“O Brasil reitera seu repúdio a quaisquer tipos de sanção, que, além de ilegais, apenas contribuem para isolar a Venezuela e aumentar o sofrimento do seu povo”, reforçou o Itamaraty em nota.

Além disso, o ministério ressalta que, apesar do caso de Yoris, 11 candidatos ligados a correntes de oposição conseguiram se registrar.

Entre eles o atual governador de Zulia, Manuel Rosales, também integrante da Plataforma Unitaria.

O Itamaraty informou que vai cooperar, em conjunto com outros membros da comunidade internacional, para as eleições de 28 de julho.

Mais cedo, Corina Yoris denunciou que não conseguiu registrar a candidatura no site do Conselho Nacional Eleitoral, órgão responsável pelas eleições na Venezuela.

O prazo para formalizar as inscrições terminou às 23h59 dessa segunda (25).

“Tentamos ir pessoalmente ao Conselho Nacional Eleitoral para entregar uma carta solicitando uma prorrogação e nem mesmo fisicamente pudemos fazê-lo”, lamentou Yoris.

VÍDEO: Opositora de Maduro não consegue se registrar para eleições

ao vivo click aqui