Líder do Sindicato do Crime do RN é preso no Rio de Janeiro

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Acompanhe Ao vivo Baixe o Aplicativo click na Imagem

Policiais Civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) prenderam nesta quinta-feira (28), o homem identificado como Anderson Mendonça da Silva, conhecido como Sancinho. O natalense de 38 anos era integrante de uma facção no Rio Grande do Norte e apontado como o principal responsável pelo “racha” do grupo, porque queria criar uma nova facção criminosa no RN.

Segundo o Governo Federal, no entanto, Sancinho é mais do que isso. Em publicação feita no portal do Gov, ele é apontado como o líder do tráfico e da facção criminosa conhecida como Sindicato do Crime do RN.

“SANCINHO é foragido do Estado do Rio Grande do Norte, exercendo a liderança da facção autodenominada SINDICATO DO CRIME DO RN, que mantém forte envolvimento com a maior facção do Estado do Rio de Janeiro. Sancinho foi preso em 2016 acusado de promover a maior onda de atentados e ataques a estruturas civis e estatais do Rio Grande do Norte, com o objetivo de intimidar o Estado após motim de internos em presídios daquela unidade federativa, vindo a ser transferido para o presídio federal de Mossoró, junto a outras lideranças”, apontou o texto do Governo Federal.

Anúncios

Segundo os policiais civis da Deicor, “Sancinho” chegou a morar em um condomínio de luxo no Recreio dos Bandeirantes, área nobre no Rio de Janeiro, mas após a prisão de “SIÊ de Mãe Luiza” pelos policiais da DEICOR, no ano passado (agosto/2021), ele mudou-se para Campo Grande/RJ, área controlada por milícia, com o intuito de dificultar sua prisão.

“O indivíduo possui extensa ficha policial. Responde a processos criminais em Nova Cruz, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante por porte ilegal de armas, tráfico de drogas e latrocínio, sendo o mais violento e perigoso da organização criminosa. Desde a sua soltura, Sancinho continuou praticando reiteradamente o crime de Tráfico de Drogas, assim como informações de inteligência obtidas pelas polícias do RJ, do RN e da PRF apontam que Sancinho também estava intimamente ligado a crimes perpetrados pelo Novo Cangaço, associação criminosa responsável por ataques e roubos a bancos em vários estados do país”, acrescentou o texto do Governo Federal.

Anúncios

Acompanhe Nossa Pagina no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*