Histórias da camisa azul do Brasil envolvem de Nossa Senhora às manchas das onças; entenda

AS MAIS ROMANTICAS E INESQUECIVEIS

A história da camisa azul da seleção começou há 64 anos. Antes mesmo de receber a estampa com as rosetas das onças para a Copa do Mundo no Cantar neste ano, o uniforme azulado do Brasil envolve muitas outras místicas.

Era 1958, final da Copa do Mundo da Suécia. O Brasil estava na final contra os donos da casa. Ambos países tinham uniformes amarelos como oficiais, e naquela época não existia camisas substitutas. Foi então que um sorteio definiu quem poderia usar a “amarelinha” no jogo.

Anúncios

O professor de história e amante de futebol Ian Rari relembra que a Suécia ganhou o sorteio e teve o direito de utilizar o uniforme amarelo.

Anúncios

Com a vitória da Suécia no sorteio, Ian explica que o chefe da delegação naquele ano, Paulo Machado de Carvalho, teve a missão de comprar o tecido para o novo uniforme e o escolhido foi azul. “Comprou um tecido azul, bordou de última hora e entregou aos jogadores”.

Mas de antemão, os jogadores ficam ressabiados com a ideia de jogar com o uniforme azul. Foi então que Paulo Machado de Carvalho explicou que o tom azulado era razão do manto de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, detalha o professor de história.

“Depois da sacada do Paulo Machado de Carvalho, a história é de que os jogadores ficaram super animados e empolgados. Entraram em campo e trouxeram a primeira vitória mundial ao Brasil”, detalha o professor.

Desde o 5 X 2 do Brasil sobre a Suécia, em 1958, o figurino azul se tornou o segundo uniforme do país nas competições oficiais.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*